Archive for the 'Poesia' Category

SAUDADE

by @ quarta-feira, setembro 7th, 2016. Filed under Poesia

Saudade, quanta saudade… Saudade da felicidade. Da infância de minha vida. De minha família querida. E da infância de meus filhos, com seus beijos tão melados. Das tardes ensolaradas nas férias tão encantadas. Dos passeios saborosos e os folguedos prazerosos. Saudades dos meus amores. De estar enamorado. Saudades dos sonhos sonhados de uma vida encantadora [...]

DISSABORES

by @ sexta-feira, agosto 19th, 2016. Filed under Poesia

Conheço pessoas maravilhosas: casadas, solteiras ou separadas. Cultas, educadas, muito bondosas, inteligentes, nobres, dedicadas. Que o mundo trouxe muitos dissabores, desilusões, tristezas, amargura. Levando-as a não crer mais em amores, da vida tirando-lhes a doçura. Creiam essas pessoas tão queridas que a vida é só essa, e nada mais merece tantas lágrimas sofridas. Somente um [...]

Morrendo…

by @ sábado, julho 16th, 2016. Filed under Poesia

Tenho que fazer algo. Mas eu estou com sono. Muito sono. Por que tenho que fazer algo? Porque viver é estar fazendo algo. Quero fazer xixi. Estou apertado. Mas meu corpo não se mexe. Será que eu estou vivo? Bem… Estou pensando. Logo existo! Mas eu poderia existir, estando morto? Como vou conseguir saber? Será [...]

Escolha do Amor

by @ sexta-feira, abril 1st, 2016. Filed under Poesia

Por que dizer que o amor é triste? Triste é não ter amor nenhum! Pois tendo amor, mesmo só um, gáudio maior, se ter, não existe. Mas há quem negue, amando, amar, se quem lhe ama, amor também ter, dedicado, a outro alguém, sem um nem outro abandonar. Ou quem impede o amor que tem [...]

O que me falta

by @ domingo, dezembro 27th, 2015. Filed under Poesia

Não tenho tempo pra nada. Mas tempo não me faz falta, pois uso o tempo que tenho. Dinheiro tenho nenhum. Mas isso é que não preciso. Tudo que tenho me basta. Saúde não vale nada. Mas isso em nada me importa. Boa é a vida que vivo. Algo me falta na vida, que em vão [...]

A poesia prevalece!‎

by @ domingo, novembro 15th, 2015. Filed under Poesia

Mesmo que o céu se despedace, que a galáxia se esfacele, que o universo se rasgue, a poesia prevalece! Se nada mais restar de nós, se o tempo cessar o seu curso, se nada, enfim, mais houver, a poesia prevalece! Pois os sonhos engendrados nas mentes encasteladas em surtos de insanidade… Os ideais almejados de [...]

AMORES ACONTECEM

by @ sexta-feira, outubro 16th, 2015. Filed under Poesia

Amores acontecem… Não são buscados, não são desejados, não são planejados. Surgem intensos, profundos, imensos, doces, ternos, maviosos. Nos envolvem, nos sugam, nos prendem sem refresco, sem escape, sem piedade. Não se importam com convenções nem compromissos. Nem querem ser únicos, exclusivos, ciumentos. Só que a vida é inimiga dos amores, mas, sem eles, a [...]

MELODIA

by @ quinta-feira, setembro 3rd, 2015. Filed under Poesia

Como eu queria, um dia, ter com alegria, a mania da melodia, baldia, que se ouviria e amaria. A meus amores, favores sem dissabores. Louvores só com olores, sabores. Nunca temores, nem dores. Só a beleza, proeza, numa riqueza, lindeza, toda tristeza, surpresa, vira nobreza, moleza. Então eu canto, o encanto que leva o pranto, [...]

Encontro Total

by @ domingo, agosto 16th, 2015. Filed under Poesia

Que melhor amiga pode ter em sua vida homem que o que mais quer da vida é ser feliz, do que aquela mulher que seu próprio coração elegeu para amar o amor maior que puder dar. Porque, em verdade, o verdadeiro amor só surge por quem se tem admiração e amizade. Aquela que nos faz [...]

PAI

by @ terça-feira, agosto 11th, 2015. Filed under Poesia

Trinta anos são passados. Não mais ouço tua voz ditar-me sábios conselhos, nem vejo teus olhos claros tanta bondade irradiar. Como sinto tua falta… Saudades das noites frias em que, em nossas poltronas, o vinho da vida bebíamos em longas conversas profundas. Hoje já chego à idade em que desta vida partiste. E, mais do [...]

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]