0+ e 0-

by @ 13:48 on 11 dezembro 2007. Filed under Informática

Marcelo
A questão do 0+ e do 0- em computação se deve ao fato de que os computadores, na verdade, não trabalham com números reais mas sempre com inteiros binários. Mesmo em notação de ponto flutuante, que pretende representar um número real, isto, de fato, não ocorre. Nem mesmo os inteiros negativos e os racionais existem no computador. Isto é válido, inclusive, para os programas de computação algébrica, feitos em linguagem lisp. De fato, um número em ponto flutuante (em C, delphi, pascal ou fortran) é uma palavra binária em que o primeiro dígito é o sinal (0=+,1=-), um certo tanto seguinte (geralmente os oito seguintes) o expoente de 10 e os demais a mantissa (a parte fracionária, sempre menor do que zero). O processador aritmético possui circuitos complexos, composto de combinações de portas simples OR, AND e NOT, além das flip-flop para executar as operações aritméticas. Assim você, pode ter o 0-, que é o 100000000…..000 e o 0+, que é o 000000000…000. Como os cálculos são sempre feitos na base de adições (tudo, até o processamento de texto), os resultados são diferentes para o 0+ e o 0-. Consulte um livro de projeto de circuito de processadores de algum curso de engenharia eletrônica. Não tenho nenhum atual, pois estudei isto nos idos de 1977, mas indico esta referência:
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DOS COMPUTADORES, Francis Scheid, Mc.GRaw-Hill

Só para deixar claro: ZERO É PAR!
Todo número que, dividido por dois, deixe resto zero (na divisão euclideana, isto é, quociente inteiro), é par.
Zero também é neutro, pois não é positivo nem negativo. É natural, inteiro, racional, real e complexo.
Quanto a 0^0, é indefinido, como já foi mostrado pela inexistência do limite.
a^0=1 e 0^a=0 para a<>0.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=1633

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]