by @ 15:10 on 25 fevereiro 2008. Filed under Inespecífica

Todos esses males que você mencionou também estão na mira da minha luta e não só retórica, mas também prática. Por exemplo, eu e minha mulher ajudamos muitas pessoas carentes, dando aulas, dando bolsas de estudo, minha mulher ensinando artesanato com materiais reciclados, para que possam ganhar algum dinheiro. Eu, por exemplo, sou uma pessoa inteiramente despossuída, não tenho casa nem carro. Uso a casa de minhas enteadas e o carro da minha mulher. Todo o dinheiro que já ganhei na vida foi distribuido para quem precisa mais (mesmo parentes). Minha casa é um asilo de cães estropiados que recolhemos na rua (tem cinco cadelas vira-latas). Mas eu vejo que o orígem de todos os males está na ignorância. Não só quanto à crença em Deus, mas política. Mas meu ideal anarquista é mais difícil de ser implementado logo que meu ideal materialista. Na minha Universidade (Federal de Viçosa), quando participei dos Colegiados Deliberativos, sempre me bati pela criação de mais vagas e mais cursos para atender, com qualidade e de graça, essa população que se pendura nos curso fajutos de fim de semana e paga caro para ter um diploma de segunda categoria. Quase me candidatei a vereador mas não achei um partido decente aqui na cidade (ao PT, em que já votei inúmeras vezes, não me filio). Mas não creio que só a militância política direta seja válida e eficaz. Em suma, combato em várias frentes sim, mas considero que difundir o ateísmo seja a minha prioridade, além do conhecimento científico (ciência dura mesmo, física e matemática). Acho que a falta de conhecimento de física e matemática por parte dos humanistas lhes deixa em condição de inferioridade em relação a quem, além das humanidades, também dominas as ciências.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=1733

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]