Infinito natural

by @ 9:52 on 3 janeiro 2009. Filed under Cosmologia, Matemática

A matemática trata de entes abstratos, isto é, construtos da razão. Todavia ela os constrói por abstração de entidades concretas, do mundo real. A noção de infinito, pois, não é apenas matemática, onde possui uma realidade dentro da categoria das realidades conceituais (e, como disse o terceiro braço, há vários infinitos – vejam: http://www.ruckert.pro.br/blog/?page_id=114 ), mas também pode ser concebida como uma realidade “real”, isto é, do mundo físico, natural. A possibilidade do Universo ser infinito, tanto nas dimensões espaciais quanto na temporal, é uma hipótese inteiramente plausível, isto é, o espaço não precisa ter uma extensão limitada e nem o tempo, tanto para o futuro quanto para o passado. Ou seja, o Universo não precisa ter tido um começo. Pode ter sempre existido. Se assim o é ou não, é uma questão que os dados observacionais, interpretados segundo as teorias cosmológicas adequadas, poderão vir a responder. Pelas informações e conhecimentos atualmente disponíveis o Universo parece ter tido um momento inicial (isto é, o tempo não é infinito para o passado) mas não se supõe que tenha um momento final e nem que tenha extensão limitada. Isto é, é fisicamente infinito.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=2731

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]