Nada Jocaxiano

by @ 22:09 on 15 fevereiro 2009. Filed under Cosmologia

Em minha concepção “nada” não é uma entidade, nem tampouco um ser (ente que existe). “Nada” é um signo linguístico representativo da inexistência de coisa alguma: física (espaço, tempo, campo, radiação e matéria com seus atributos, como energia, carga, spin etc.) ou não física (espíritos, leis, idéias, valores etc.). Este “Nada inexistente” não é contraditório, pois não se trata de algo e, logo, não possui propriedade alguma, tampouco a de não conter nada. De fato, ele não existe, não é parte da realidade, não é ente nem ser. Dizer que antes do Universo existir havia o nada é uma impropriedade. Antes do Universo existir não havia coisa alguma, nem “antes”. Portanto não pode haver surgimento de algo “do nada”. Dizer que o Universo “surgiu do nada” é uma expressão inadequada que quer significar que o Universo surgiu sem que houvesse algo que o precedesse, do qual ele teria surgido, como o “Nada Jocaxiano”. Este conceito, sendo um ser, como o próprio Jocax o disse, é um estado primordial do próprio Universo e, portanto, há que se questionar como surgiu, pois tratando-se de algo que existiu, ou sempre existiu ou houve uma passagem da inexistência para a existência. Se bem que, neste caso, a palavra “sempre” não se aplica, pois nele não se dava decurso de tempo. Mas era algo que “estava aí”, sem conter nada, como um nada, só que existia. Existência é um “estado” de algo (e não de um não-algo), não uma propriedade (entendimento que derruba o argumento ontológico da existência de Deus), que requer uma explicação. Teria o “Nada Jocaxiano” surgido “do nada”?

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=2911

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]