Tudo é natural

by @ 18:04 on 20 março 2009. Filed under Esoterismo, Física Quântica

Concordo em que é a aleatoriedade quântica que permite a existência do Livre Arbítrio, pois o mecanicismo determinista laplaceano faz de nós meros Zumbís. Esta questão dos microtúbulos na explicação da consciência é algo no qual desejo me aprofundar, apesar de ter muita desconfiança na proposta do Penrose da “Mente Quântica”, especialmente na extrapolação que se faz de uma ocorrência puramente natural para uma realidade trans-natural de espíritos e de Deus. Todavia tenho a mente aberta para qualquer possibilidade. Só que preciso ser convencido por sólidos argumentos, pois eu entendo de Física Quântica (não estou dizendo que Penrose, Hameroff, Pribram, Stapp, Bohm, Goswami, Capra e outros não entendam, mas que suas propostas envolvem premissas extrínsecas ao universo do conhecimento quântico, sendo validadas por critérios que considero não científicos). Até agora percebo que tais propostas não são epistêmicas nem sequer endoxas, mas, meramente, doxas. Neurociências, Bioquímica Molecular, Genética e Evolução também são assuntos do meu maior interesse, além da área de minha formação, que é Cosmologia. Realmente sou adepto do paradigma fisicalista e cético com relação à visão espiritualista da realidade. Mas sou um livre pensador aberto a qualquer possibilidade, que me convença a mudar de opinião. Como também já lecionei Estatística, sei que o acaso pode muito bem dar conta de qualquer coisa, por menor que seja a probabilidade. Considero que a necessidade de se atribuir uma razão, um projeto e uma finalidade à evolução, tanto cósmica quanto biológica é uma espécie de preconceito oriundo do senso comum, que tantas vezes se revela falho ao sair do âmbito da vida cotidiana, na escala de tempo e espaço a nós acessíveis, e adentrar para escalas micro e macroscópicas.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=2985

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]