Amantes e anarquismo

by @ 18:18 on 20 março 2009. Filed under Anarquismo, Comportamento, Sexualidade

Não vejo problema em se ter amantes, quer da parte de mulheres quer de homens. Só acho que todos os envolvidos precisam estar cientes e concordar, mesmo os maridos e esposas (não vejo problema de maridos e esposas concordarem com amantes de seu cônjuge). Ter amantes escondidos é traição da confiança e revela um caráter abominável. Considero a pluralidade amorosa e mesmo conjugal (poliginia e poliandria) como algo perfeitamente aceitável e passível de legalização. Ciúme é o tipo da coisa que não consigo compreender, pois não é revelador de amor nenhum, mas sim de egoísmo. A sociedade poderia muito bem se estruturar em um modelo de família completamente diferente do vigente, em que todo homem seria marido de toda mulher, toda mulher, mulher de todo homem, toda criança filha de todo adulto e todo adulto pai e mãe de toda criança. Logicamente não haveriam residências particulares, mas sim coletivas, bem como tudo o mais. É minha proposta anarquista, a melhor forma de coexistência social, propiciadora da máxima felicidade e bem estar para todos, sem exceção e sem diferenciação de classes sociais ou qualquer outro tipo de discriminação (por raça, religião, gênero, fortuna, ideologia etc). Para isto seria preciso também abolir as fronteiras, os governos, o dinheiro, a propriedade, as religiões e muito mais. Mas seria o paraíso na Terra. E isto pode muito bem ser alcançado.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=2997

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]