Caminhos para o Anarquismo

by @ 19:50 on 5 abril 2009. Filed under Anarquismo

Minha proposta para trilhar o caminho para o anarco-comunismo não é pela ditadura do proletariado nem pelo estabelecimento de um estado totalitário, mas sim pela ampliação e pulverização do capitalismo, transformando todo empregado em patrão, pela coletivização do capital das empresas. Paralelamente ao estabelecimento de acordos de livre comércio, e conglomerados de fronteiras livres, como a União Européia, bem como ao incentivo aos empreendimentos sociais de livre iniciativa, na forma de voluntariado, estas medidas, no correr do tempo, farão com que as fronteiras, o dinheiro, a propriedade privada e até os próprios governos se extingam expontâneamente, por absoluta falta de necessidade de existirem. Então a humanidade terá deixado a sua infância como espécie e entrará na adolescência de uma vida cuja maturidade eu antevejo longeva da ordem de centenas de milhões de anos, em um estado de paz, harmonia, civilização, cultura, progresso, felicidade sem par, com a eliminação total de todo a criminalidade, das doenças, da pobreza (sim, é possível uma situação em que todos os seres humanos sejam, de fato, ricos e não pouco. Isto se não houver propriedade privada e nem dinheiro. Se nada for de ninguém e se tudo for de todos. A igualdade de oportunidades será total e a motivação para qualquer crime não exisitirá, nem os passionais, pois toda mulher será mulher de todo homem e todo homem será marido de toda mulher. E toda criança será filha de todo adulto que será pai e mãe de toda criança. É preciso, contudo, um esforço educativo persistente ao longo de centenas de anos para extirpar os dois empecilhos a que isto venha a existir: a preguiça e a cobiça.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=3050

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]