Ética e Moral

by @ 0:02 on 28 agosto 2009. Filed under Ética

Deixando de lado a etimologia das palavras, ética e moral, no contexto filosófico, passaram a adquirir significados diferentes.
A moral é uma disciplina normativa, que fixa procedimentos aceitáveis como corretos em um certo estrato social, em certa época e lugar. Assim, de fato, está relacionada com os costumes vigentes. O caráter moral, imoral ou amoral se aplica às ações, desde que feitas por seres conscientes e livres, no caso, pelo que se conhece, apenas humanos, no pleno gozo de suas faculdades mentais e livres de toda coação.
A ética, por outro lado, é uma disciplina filosófica, que investiga as condições para que uma ação seja conforme a certos princípios, ditos “éticos”, que se relacionam ao que seja certo ou errado, bom ou mau.
Note-se que a moral não se reporta à qualidade de boa ou má de uma ação, mas tão somente a sua conformidade com os costumes.
A questão que se prende a este debate é justamente é se a noção do bem e do mal são absolutas ou relativas ao tempo, lugar e estrato social.
Muitos filósofos procuraram estabelecer critérios universais para tais características e outros julgaram-nas completamente relativas ao contexto.
No meu entendimento pode-se extrair certa universalidade na caracterização do bem e do mal (e portanto do caráter bom ou mau de alguma ação).
Quatro critérios se apresentam:
1. A ação se pauta pela expressão da verdade, isto é, não engana ninguém?
2. A ação promove a maximização da felicidade para o maior número de seres?
3. A ação pode ser erigida como norma universal a se determinar a ser cumprida?
4. A ação é uma que a pessoa que a faz desejaria ser receptadora dela?
Nesse sentido, caso preencha esses criterios, a ação seria considerada ética.
A moral, portanto, deveria prescrever apenas ações que fossem éticas. Não é o que sempre ocorre.
A poligamia (poliandria ou poliginia) é considerada imoral em várias sociedades. No entanto, havendo consentimento livre dos envolvidos, não é desonesto, não contribui para a infelicidade de ninguém, pode ser adotado como norma geral, e não é algo que não se pudesse desejar para si. Logo não é anti-ética.
Por outro lado, a ablação do clitóris e o apedrejamento de adúlteras, aceito em algumas coletividades, configura-se como algo moral, sendo patentemente anti-ético, pois provoca infelicidade e não é nada que se deseje para si próprio.
A “Farra do Boi” não é tida como imoral, mas é anti-ética.
O mesmo pode-se dizer para todo tipo de comportamento preconceituoso, em relação a gênero, raça, religião, classe social ou o que seja. Pode ser admitido como moralmente aceito mas é anti-ético.
Já a homossexulidade é considerada imoral por alguns, mas não é anti-ética.
A escravidão já foi moralmente aceita, mas é anti-ética.
A exploração dos empregados pelos patrões em muitas circunstâncias, é moralmente aceita (pelo menos pela classe dos patrões), mas é anti-ética.
Levar vantagem nas vendas em razão da condição precária do comprador é moralmente aceito, mas é anti-ético.
Ser ateu é considerado imoral por muita gente, mas não é anti-ético.
A lista é extensa…
Ética é universal e moral é cultural.
O ideal é que a moral sempre se pautasse pela ética. Nem sempre isto ocorre.
Em qualquer sociedade é fácil ver se alguma ação seja boa ou má.
É claro que se precisa fazer uma análise de cada caso.
Mentir é anti-ético, mas pode-se admitir uma mentira para salvar um inocente, por exemplo.
Furtar é anti-ético, mas pode-se admitir um furto para matar a fome, não havendo outra possibilidade.
Mas desviar verbas destinadas a socorrer vítimas da seca, por exemplo, é assassinato.
Outra coisa que se relaciona ao que se discute aqui é a questão de se fazer justiça pela aplicação da lei, como o fazem muitos juízes. A lei não pode estar acima da justiça e, se a lei for injusta, obrigatório se é desobedecê-la.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=3288

3 Responses to “Ética e Moral”

  1. Hugo Dias Perpétuo disse:

    Prof, comecei a gostar de etica quando o li uma tese de doutorado de um Juiz Federal intitulada “etica da eternidade” George Marmelstein, o titulo parece meio estranho, mas quando o senhor ler, vai entender, ele estar fazendo doutorado la em Coimbra, se voce se interesar, da uma lida, vale a pena

    abraçoss,,,, tudo de bom

  2. Danielle Lisboa disse:

    prof° pode começar a pensar numa forma de ministrar aula de Ética para os meus alunos de 3°ano do ensino medio, depois do seu texto. Muito obrigada, acredito que com o seu texto posso faze-los enteder a diferença entre ética e moral.

    muito bom!!!

  3. Loira disse:

    Caro Mestre
    Adorei seu texto sobre ética e valores.. ..autoexplicativo -sensacional tanto que adicionei
    ao curso que ministro de desenvolvimento interpessoal no módulo de ética profissional e valores -
    com os referidos créditos óbvio..
    Muito Grata por tamanha preciosidade
    Paz e Bem !!!

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]