Espírito e espiritualidade

by @ 0:14 on 16 outubro 2009. Filed under Ateísmo, Comportamento

A palavra “Espírito” no livro do Conte-Sponville “O Espírito do Ateísmo” não significa uma entidade etérea mas tem a conotação de idéia predominante, sentido ou significado. Por outro lado é preciso entender que “espiritualidade” não tem nada a ver com “espíritos”.
Entendo por “espírito” um tipo de entidade etérea, não física, incorpórea, imaterial, que não tem massa nem volume, nem cor e nenhuma propriedade física, como posição, velocidade, não emite som nem luz, mas possui individualidade, auto-consciência, raciocínio, emoção, vontade, personalidade, temperamento, caráter e é capaz de ter uma percepção do mundo físico, além de poder agir sobre ele, provocando efeitos físicos oriundos de uma causa não física, e ainda ser capaz de captar pensamentos e, possivelmente, comunicar-se diretamente com as mentes dos seres vivos. Na concepção dualista do mundo, considera-se que o espírito seja a sede do psiquismo e a substância da “alma”, isto é, da componente do ser vivo que lhe vivifica o corpo. Assim, a vida seria dada ao corpo pelo espírito, que, então, seria sua alma. Assim concebidos, alma e espírito se confundem, pelo menos para os seres humanos. Mas haveriam espíritos que não seriam almas de nenhum corpo, como os anjos e demônios. E, quando desencarnadas, as almas seriam simplesmente espíritos, não estando vivificando nenhum corpo. Tenho para mim que tal tipo de coisa simplesmente não existe e só conseguirei aceitar que exista se isto me for demonstrado de forma cabal e inequívoca, o que, até hoje, não ví.
Por outrto lado, entendo a espiritualidade como uma elevação mental, isto é, uma dedicação e um comprometimento de toda a inteligência, da vontade e da sensibilidade com os padrões mais elevados não só de conduta, mas também de interesses.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=3359

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]