Átomos e moléculas e íons.

by @ 18:48 on 30 setembro 2006. Filed under Física

Um átomo é, portanto, um arranjo particular das concentrações de campo (as partículas elementares) de tal forma estruturado que possua um núcleo central denso e uma região períférica rarefeita. O núcleo apresenta carga positiva, sendo constituído de prótons e nêutrons e a envoltória de elétrons. Note-se que esta é uma visão simplificada, pois, no núcleo, a todo momento há formação, aniquilação e transmutação de prótons em nêutrons e em outros bárions e híperons, além da presença dos mésons e dos glúons e da emissão de neutrinos e antineutrinos. E no envoltório sempre há excitações e dacaimentos com emissão e absorção de fótons. Mas o átomo, apesar dessa dinâmica toda, tem uma certa permanência existencial. Assim, praticamente todos os átomos que existem são os mesmos que foram formados, descontadas as fusões e fissões. A diferença entre átomo e moléculas é que esta tem, pelo menos, dois núcleos, enquanto o átomo tem um só. Íons são átomos com carga líquida não nula. No átomo todos os elétrons se distribuem em um campo descrito por uma função de onda única para o conjunto, de modo que não há como individualizar cada um. Mas ao se retirar alguma concentração desse campo, isso só ocorre em “quanta” equivalente a um número inteiro de elétrons, que é a menor porção de campo de elétron existente. Não há como fracioná-lo, nem em carga nem em massa de repouso. Assim dizemos que um íon é um átomo que perdeu ou ganhou elétrons. O elétron só é uma partícula mais ou menos localizada quando fora de qualquer átomo, molécula, cristal ou corpo. Em um cristal, a “nuvem de elétrons” é um campo global para a amostra. Tirar e por um elétron do cristal é como pingar ou sugar uma gota de um líquido. Depois que ela cai lá não se pode mais individualizá-la. A descrição que fiz do que seja um átomo pode parecer prosaica, mas átomo não é nada mais do que isso. A descrição matemática, por meio da função de onda, que se pode fazer de um átomo e todo o estudo que a mecânica quântica faz, por exemplo, dos orbitais, usando momento angular e spin para identificar os números quânticos, introduzindo funções como os harmônicos esféricos, polinômios de Laguerre ou outras que tais e, ainda, os métodos de perturbação para átomos mais complexos, nada disso altera o conceito que foi exposto. Qualquer pretensão de supor que o átomo seja mais do que isso não é suportada por nenhuma evidência experimental. Quando o filme “Quem Somos Nós?” explora a afirmação de que a Física Quântica é a Física das possibilidades, ele pretende dizer que a consciência pode determinar em qual das possíveis localizações da concentração de campo que consiste no átomo ele colapsará ao ser observado. Não é verdade. Ao ser observado, qualquer sistema colapsará sua função de onda em alguma configuração possível de modo inteiramente aleatório e completamente independente da consciência do observador, que nem precisa tê-la.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=351

2 Responses to “Átomos e moléculas e íons.”

  1. Luana disse:

    Quero saber todas as diferenças dos Íons e dos Átomos..

  2. Ernesto disse:

    Um íon é simplesmente um átomo que possui mais ou menos elétrons do que prótons. Assim sua carga elétrica não é nula, podendo ser positiva (elétrons faltantes), caso em que o íon é chamado de cátion ou negativa (elétrons sobrantes), caso em que o íon é chamado de ânion.

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]