Deus e o mal

by @ 22:59 on 26 março 2010. Filed under Ateísmo, Religião


Mal e pecado são diferentes. Pecado é um ato voluntário, mal pode não ser. Uma doença e uma catástrofe são males, mas não pecados, pois ninguém as fez, a não ser que se considere que sejam obras de Deus, que, então, seria um pecador.
A exegese teológica não considera que o homem perdeu o livre arbítrio com o pecado. Ele continua livre para resolver o que fazer: o bem ou o mal.
Se qualquer mal não for permitido por Deus, então ele não é onipotente, se for, não é benevolente. O mais provável é que nem exista e o mal seja obra do acaso, quando natural ou não voluntário, ou um ato malévolo de responsabilidade de quem o faz. Se existir Deus, ele certamente ou não é bom ou não é todo-poderoso. Pelo conceito do que seja Deus, acho que, se existir, de fato, não é bom. Aliás, a Bíblia está repleta de descrições de sua perfídia, a maior das quais é ter feito seu filho Jesus sofrer o que sofreu para aplacar seu melindre por ter sido desobedecido. Não vejo como Deus nos ame ao permitir a existência do mal, de doenças, de crimes, de sofrimentos, inclusive a pessoas justas e bondosas.
É claro que não acho que quem acredite em Deus considere a descrição Bíblica da criação do mundo como um relato científico dos fatos, mas sim como uma alegoria. O que digo é que o que se verifica que aconteceu, pelos estudos cosmológicos, pode perfeitamente ser entendido sem apelo a nenhuma interveniência de qualquer ser extrínseco à natureza, para provocar tais fatos.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=3788

2 Responses to “Deus e o mal”

  1. jonas disse:

    Olá!
    Já em post anteriore argumentei que DEUS e o sofrimento não são imcompatíveis, quando falei sobre o problema intelectual do mal, e que este envolve em dar uma explicação racional da coexistência de DEUS e o mal,e que o ateu ou agnóstico precisa mostrar uma contradição implícita de DEUS e o sofrimento serem imcompatíveis,pois não há nenhuma explícita.O ônus da prova para mostrar que existem suposições verdadeiras que revelariam contradições entre DEUS e o mal e o sofrimento,nenhum ateu susteve até hoje.As razões de DEUS criar um mundo com criaturas livres que passam a se tornar agentes morais responsáveis,exige um mundo em que opera de acordo com leis naturais paradoxais quanto ao seu efeito,pois a água que é essencial a vida,pode também nos afogar!Criando este tipo de situação possibilita o sofrimento natural e o mal moral,mas ao mesmo tempo o objetivo maior que seria o pleno conhecimento e a comunhão com DEUS seriam satisfeitos,não como títeres,mas como seres livres de plena liberdade de escolha.
    Percebo que o seu problema maior é com o problema emocional do mal,com um DEUS que permite o sofrimento,o qual é fruto de um mundo necessário a seres livres no pensar e agir.Transmites palavras de Epicuro para sua forma de raciocínio,o que evoca a falsa imcompatibilidade de DEUS e o mal coexistirem.O bem e o mal sózinhos não são suficientes para o certo e o errado,bem e mal não criam obrigações ou proibições,portanto existe uma moral objetiva,e ela encerra-se em DEUS.
    Quanto a cosmologia já ter desvendado todos os mistérios do “aparecimento” do universo é “alegoria” gratuíta sua.A propósito,pecado é errar o alvo e mal é ausência do bem.Abraços

  2. Oiced Mocam disse:

    Leitura recomendada:

    ” O problema com Deus”

    de Bart D. Ehrman

    Doutor em estudos bíblicos, Ehrman é um ex-pastor evangélico e conhecedor das escrituras. Estudando o livro sagrado dos cristãos, ele desconstrói vários conceitos, entre eles o do sofrimento do mundo, causado pelo pecado original. Honesta e logicamente, ele conta suas experiências pessoais e mostra o que o levou a perder a fé. E por que o Deus no qual ele acreditava não existe.

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]