Solidão Intelectual

by @ 22:41 on 5 outubro 2012. Filed under Comportamento, Pessoal, Relacionamentos

O Pensador

Quem, principalmente, mora no interior e seja intelectual, acaba sendo uma pessoa solitária. Poucas pessoas compartilham o seu interesse por assuntos filosóficos, artísticos, científicos, culturais, educacionais. A maioria até fica aborrecida com esse tipo de conversa. Quer falar é de futebol, novelas, política local e fofocas. Quando não é época de BBB. Em família e entre colegas de trabalho, não se acha ambiente favorável a um bom papo filosófico. Se não se assiste televisão, então, fica-se completamente isolado. Só a internet propicia um contato com outras pessoas de afinidades, em cantos afastados do país e do mundo. Se se é uma pessoa que não gosta de beber, então… é-se um chato. Como conversar sobre literatura com quem não lê; sobre ciência com quem não entende nada de física, de biologia, de astronomia, de geologia; sobre música com quem não sabe quem foi Fauré ou Corelli; sobre filosofia com quem nunca ouviu falar de Schopenhauer; sobre política com quem não conhece Kropotkin; sobre educação com quem não tem notícia de Ferrer Guardia; sobre pintura com quem nunca viu uma reprodução de uma tela de Bouguereau. Fica-se num limbo. Claro que se conversa sobre trivialidades para não se perder o contato humano, mas se sente um vazio, um desapontamento, uma falta de desafio, de contestação, para se travar uma boa discussão, para se afiar a mente em argumentações. Como em Física e Matemática. Num centro de pesquisa se conversa sobre trabalhos em desenvolvimento e se é desafiado a solucionar problemas. Quem está fora desses centros fica marginalizado. Mesmo assim a vida no interior é compensadora, mormente com a internet. Mas a solidão não acaba.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=4528

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]