Educação ateísta

by @ 22:11 on 29 janeiro 2007. Filed under Pessoal, Religião

Não vejo problema nenhum em educar os filhos numa perspectiva ateísta. E digo educar de modo a formar pessoas bem estruturadas, capazes, confiantes, assertivas, despachadas, educadas, cortezes, responsáveis, trabalhadoras, inquiridoras, contestadoras, solidárias, cultas, bondosas, honestas, batalhadoras, exigentes e, principalmente, felizes. Assim eduquei meus dois filhos, hoje com 28 e 25 anos. Dei-lhes a liberdade de participar da religião que quizessem e lhes passei meus valores que podem ser resumidos no poema que escrevi para eles:
http://www.ruckert.pro.br/blog/?p=131Considero que os valores éticos, estéticos, sociais, humanos, culturais e mesmo todos os preceitos de saúde física e mental podem perfeitamente ser passados sem nenhuma menção a nada de sobrenatural e a nenhum prêmio ou castigo em alguma pretensa vida futura trans-morte. Meus filhos não aprenderam o que vém a ser pecado, mas sabem perfeitamente o que é ser bom e fazer o bem (o que não é a mesma coisa). E têm a perfeita noção de honestidade e justiça, inclusive mais apurada do que a de muitos fiéis seguidores de alguma religião. Tanto que consideram preferível levar um prejuízo do que causar um. Bom, eles foram submetidos às influências familiares dos avós, tios e, mesmo, da mãe deles, que, apesar de aceitar meu ateísmo, não compartilhava. Mas também não era religiosa praticante mas o que aqui no orkut se diz “tenho um lado espiritual independente de religião”. Não se tornaram religiosos e nem ateus. Mas sabem perfeitamente como penso e, não só me respeitam, como até admiram minhas posturas. Assim, vejo que pais íntegros, generosos, sinceros, que verdadeiramente amam seus filhos e amam a humanidade podem educá-los inclusive muito melhor do que pessoas religiosas que pautam a vida pelo temor do inferno.

The URI to TrackBack this entry is: http://www.ruckert.pro.br/blog/wp-trackback.php?p=514

Leave a Reply

Please note: Comment moderation is currently enabled so there will be a delay between when you post your comment and when it shows up. Patience is a virtue; there is no need to re-submit your comment.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]