19 novembro 2008

Ontologia quântica

by @ 11:43. Filed under Epistemologia, Física Quântica

Concordo em que a Mecânica Quântica “Classica” (isto soa paradoxal) não é uma teoria que dê uma explicação física da realidade (como a Mecânica Clássica o faz, mesmo equivocadamente), mas apenas permite calcular resultados. Não tenho familiaridade suficiente com a formulação de Bohm para apreciá-la, mas tenho gostado muito de ler o que diz o Mario Bunge. Veja estas referências:
http://www.mcgill.ca/philosophy/faculty/bunge/ ;
http://www.formalontology.it/bungem.htm ;
http://www.mcgill.ca/news/2005/fall/bunge .
Contudo, estou estudando essas coisas e talvez até anime a fazer um doutorado na Universidade McGill.
Na verdade, este é o tipo de assunto que mais me interessa, isto é, filosofia da ciência, ou melhor ainda, uma filosofia científica e uma ciência filosófica, principalmente nos aspectos ontológicos, quânticos, cosmológicos e neurológicos. Música, literatura e pintura são hobbies para mim. Religião também me interessa muito no aspecto antropológico.

26 fevereiro 2008

Filosofia Científica

by @ 15:44. Filed under Ciências, Filosofia

Sempre tenho me batido pela necessidade de uma cientificização da filosofia, tendo, inclusive, aberto tópicos em várias comunidades sobre a questão. Mas não considero que isto exclua a Metafísica da Filosofia, desde que a Metafísica seja entendida como não tendo nada a ver com uma realidade dualística e a existência de um “mundo das idéias” ou “mundo dos espíritos” (o que não é a mesma coisa). Mesmo numa concepção monistica fisicalista o lugar da Metafísica permanece como a área em que se definem os termos e as relações existentes entre o que eles representam. Isto é, mesmo considerando que a realidade “real” seja totalmente física (mas não totalmente material, pois física é mais que matéria, engloba tambem os campos, o espaço-tempo, as interações, os movimentos e todas as ocorrências que se dêem com essas entidades), isto não exclui a categoria da realidade dos conceitos e de outras que advém do processamento mental, mesmo que se considere que a mente seja uma ocorrência devida à organização e dinâmica do substrato físico-biológico do ser pensante que é o homem e outros de equivalente capacidade. A Metafísica lida com esses conceitos abstratos.
Todavia não vejo que o existencialismo, o positivismo, a fenomenologia, o materialismo dialético, a filosofia analítica e outras correntes que se propuseram a tal empreendimento (cientificizar a filosofia), realmente tenham logrado êxito em se abster do aspecto opinativo, pois muito do que é apresentado continua sendo o modo de conceber a realidade dos seus propositores (isto é, sua opinião). Acho que a Filosofia deve se despir de adjetivos e passar a investigar a realidade observacional, experimental, introspectiva, especulativa e analiticamente, mas sempre com o respaldo do critério da comprovação científica de suas proposições. E a concepção de consciência de Sartre não é menos “achista” que as concepções de Freud. É na neurociência moderna que os primeiros passos para o entendimento da consciência estão sendo dados.

25 fevereiro 2008

Filosofia Científica

by @ 14:46. Filed under Filosofia

Em momento algum pretendi subordinar a Filosofia à Ciência. O que eu afirmo é que a Filosofia se fortifica em adotar métodos científicos em seu processo de busca da verdade, além da reflexão racional introspectiva que lhe é peculiar. Tenho uma proposta a esse respeito, inclusive nesta comunidade, no tópico:

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=28604502&tid=2543211500055347726&kw=filosofia+cient%C3%ADfica

Todavia a questão está mais bem discutida em um tópico idêntico em outra comunidade, também denominada FILOSOFIA:

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=33541291&tid=2543211751310934542&kw=filosofia+cient%C3%ADfica

Ou nesta:

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=76059&tid=2543212530847498766&kw=filosofia+cient%C3%ADfica&na=1&nst=1

Existe ainda uma proposta do João Carlos Holland de Barcellos um pouco semelhante mas, esta sim, com a pretensão de tornar a Filosofia uma ciência. Veja isto em:

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=39300234&tid=2571113439389341324&start=1

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=76059&tid=2571126691510933132&kw=ci%C3%AAncia+expandida

http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=33541291&tid=2571456540704298636&kw=ci%C3%AAncia+expandida&na=1&nst=1

Sem renunciar ao método especulativo, mas socorrendo-se da indução experimental e dos testes de hipóteses científicos, considero que a filosofia muito tem a ganhar, além, também, de se valer dos métodos lógicos analíticos e linguísticos da Filosofia Analítica. O que quero é ver a Filosofia superar a questão das “escolas de pensamento” e poder atingir um nível de universalidade em suas considerações.

5 setembro 2007

by @ 16:43. Filed under Filosofia

No meu entendimento, o método científico não é uma camisa de força para a filosofia, como pode parecer. Inclusive porque é preciso entender bem o que seja “metodo científico”. De certa feita eu estava assistindo uma palestra de um pesquisador sobre metodologia da ciência e ele descartou como não científico qualquer trabalho que não seguisse um rígido esquema que, nas teses de doutorado, incluem: “revisão bibliográfica”, “materiais e métodos”, “procedimento experimental”, “análise e discussão” e ” conclusões”. Nisto tudo está embutida uma “hipótese” a ser testada. Não se menciona em lugar nenhum o “metodo de formulação da hipótese”. Aí é que está o segredo da ciência. Mas, é importante que se diga, que qualquer hipótese, seja como for formulada, só terá aceitação como explicação científica da realidade se passar pelo crivo da comprovação, mediante os mais variados e rigorosos testes. É isto que gostaria de ver acontecer na filosofia, bem como na psicologia, na sociologia e na economia. Por exemplo, consideremos a questão realismo versus idealismo. Seriam as idéias uma realidade que precede o mundo exterior (que seria por elas construído, como o queria Platão) ou o mundo exterior é uma realidade básica e independente de qualquer sujeito consciente que o observe. Não é possível que algo tão relevante seja deixado como um posicionamento individual, uma “opinião”. Se uma dessas concepções for verdadeira a outra será falsa e vice-versa. Então, para mim, a filosofia científica iria buscar algum procedimento que permita decidir entre as duas concepções de tal modo que não reste a menor dúvida sobre qual é a correta, para quem quer que tenha raciocínio suficiente para entender. Do mesmo modo a respeito de qualquer outro assunto, evidentemente dentro dos conhecimentos disponíveis, de tal sorte que a conclusão possa ser revista, sempre que novos dados venham a surgir.

24 julho 2007

Filosofia Científica

by @ 14:07. Filed under Filosofia

Quero postar nesta comunidade minha proposta de uma nova abordagem da filosofia, que denomino “Filosofia Científica”. Em que consiste? A Filosofia é uma disciplina que se dedica à busca do saber e à obtenção da sabedoria. A Ciência também é uma busca do conhecimento, mas os métodos e os objetos não são os mesmos. A Ciência (os as ciências) busca o conhecimento das entidades e fenômenos de modo sistematizado e fundamentado em evidências e comprovações, pela formulação e testes de hipóteses, com o uso de metodologias que aferem seus modelos explicativos com a realidade objetiva do mundo, tanto natural quanto das idéias. Mas se atém aos níveis imediato e mediato das relações entre seus objetos de estudo. A Filosofia, por sua vez, procura as razões fundamentais, as causas primeiras, as últimas consequências. Não só os “comos”, mas, principalmente, os “porquês”. Nessa busca, principalmente voltada para tirar lições de vida, a Filosofia se vale principalmente da especulação, que consiste na aplicação do raciocínio ao objeto de estudo, para tirar conclusões racionais. É um processo de reflexão sobre a realidade em suas múltiplas facetas, que conduz à formulação de esquemas interpretativos e explicativos. Nesse mister muito valiosos são os conhecimentos de lógica e linguística (no sentido mais amplo de uma ciência dos signos) pois que qualquer explicação é uma representação simbólica da realidade. A Filosofia dita analítica, corrente predominante no mundo anglo-saxão do século XX, envereda por uma abordagem diferente da especulativa, justamente por fazer uso maior dos métodos lógicos e linguísticos. O que eu proponho vai mais adiante. O que estou denominando “Filosofia Científica” é uma abordagem dos objetos pertinentes à Filosofia por uma perspectiva científica. Isto evita a existência de “escolas de pensamento”, colocando as explicações num patamar superior ao de “opiniões” ou “modos de ver”, permitindo que se chegue a um consenso da comunidade filosófica.

[Ernesto von Rückert is proudly powered by WordPress.]